Leitor Impacto

Siga-nos nas redes sociais

Três Princípios da Liderança Bíblica

Ariel Blumenthal

1. “Não por obrigação, mas espontaneamente, como Deus quer…” (1 Pe 5.2a)

Em João 21.15-17, o Yeshua ressuscitado ordena a Pedro três vezes: “Apascenta os meus cordeiros… Pastoreia as minhas ovelhas… Apascenta as minhas ovelhas”. Pedro era um homem ousado e forte, destinado a ser um grande líder do povo de Deus. Na sua própria força, ele poderia ter aceitado essas ordens de Yeshua, como “por obrigação”. Mas Yeshua sabia que nem Pedro, nem qualquer outra pessoa pode liderar como Yeshua lidera – “como Deus quer” – sob sua própria força (1 Pe 5.2). Ele pode começar forte, mas acabará falhando. É por isso que, em João 21, antes de cada ordem, Yeshua faz a Pedro a pergunta retórica: “Pedro, tu me amas?”

Assim é com cada um de nós que lideramos: se estamos escutando, o Espírito Santo constantemente nos faz a mesma pergunta: “você está fazendo isso porque tem que fazer ou porque ama a Deus?”

Quase posso ouvir Deus dizendo: “Se você me amar e se aproximar de mim, então você pode liderar com meu coração, meu amor, minha sabedoria… e se não… bem, boa sorte!”

 

2.“Nem por ganância, mas de boa vontade…” (1 Pe 5.2b)

Todos nós precisamos ganhar a vida. Todos nós precisamos de dinheiro para a família, comida, roupas, talvez um carro etc. Não há nada de errado em os líderes ministeriais serem pagos por seu trabalho. Assim como em qualquer local de trabalho, aqueles com mais autoridade e responsabilidade também merecem um salário maior. Mas para sermos verdadeiros líderes à Sua imagem, o desejo, a necessidade de dinheiro (e mais dinheiro!) nunca deve ser a fonte de nossa motivação. Em 1 Coríntios 9, o apóstolo Paulo testifica: “Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!

Todos nós na liderança do ministério devemos ter esta atitude: “Estou fazendo isso porque Deus me chamou. Ele me deu dons, e é a Sua vontade em mim. Ai de mim se não o fizer! Não importa se recebo ou quanto ganho… este não é um trabalho qualquer!” E o mesmo é verdade para todos nós, seja como pais ou líderes no local de trabalho secular, devemos saber que toda autoridade é um dom de Deus (Rm 13.1) e que nosso trabalho é algo que devemos desejar fazer para Sua glória – não por dinheiro ou por status!

 

3. “Não como dominadores dos que lhes foram confiados, mas sendo exemplos para o rebanho.” (1 Pe 5.3)

Antes de me tornar pai, fiz um curso de educação de pais ministrado por um casal de pastores locais aqui em Jerusalém. Muitos anos depois, ainda me lembro claramente de uma de suas declarações: “Seus filhos farão o que você fizer, não o que você disser a eles para fazerem!” Este é um dos mais simples e mais universais princípios de toda liderança – liderar pelo exemplo. Em virtude do poder e da autoridade, muitos conseguiram governar “ditando” (sendo um ditador!) sobre os outros. Mas seu reinado e influência geralmente duram pouco (assim que o líder ditatorial morre, tudo desmorona). Mas quando governamos “de baixo”, não “de cima”, pelo exemplo de obediência e santidade em nossas vidas, então podemos produzir frutos duradouros em outros que podem continuar a influenciar as gerações depois de nossa morte. Em 1 Coríntios 4.9, Paulo descreve os apóstolos como aqueles “no final da procissão”, não famosos e proeminentes, na frente do desfile, mas sem nome, como os condenados à morte, fracos e sem honra. Os maiores líderes muitas vezes são desconhecidos, liderando discretamente muitos por seu exemplo humilde. Yeshua disse: “Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, porque sou manso e humilde de coração; e vocês acharão descanso para a sua alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.” (Mt 11.29-30).

Gostou? Compartilhe...

WhatsApp
Telegram
Twitter
Facebook
Imprimir

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Continue lendo

Conteúdo Relacionado

Vento Forte a Noite Toda

Asher Intrater O Senhor disse a Josué que estaria com ele da mesma forma que estava com Moisés (Josué 1:5). De maneira semelhante, Yeshua disse a

A Presença Interior do Espírito Santo

Asher Intrater Os valores judaico-cristãos incluem padrões morais, fundamentos sociais e uma visão geral do mundo. Eles são essenciais à humanidade e a toda a